Skip navigation

O Departamento Autónomo de Arquitectura, da Universidade do Minho, apresenta, amanhã, dia 5 de Novembro, um Seminário sobre Urbanismo Colonial.

O evento, a ter lugar no Auditório A1 do Departamento, pelas 14h30, contará com a presença de um grupo de investigadores da Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa: Clara Mendes, Carlos Dias Coelho, Manuela da Fonte, Luis Carneiro, Sérgio Barreiros Proença, Sérgio Padrão Fernandes e Gilberto Duarte Carlos, envolvidos no Projecto de Investigação “Os Plano de Urbanização nas Antigas Províncias Ultramarinas, 1934-1974″, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia do Laboratório de Urbanismo, Ordenamento do Território e Paisagem, da Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa.

Na 2ª parte do seminário, dois arquitectos – Fernão Simões de Carvalho e Francisco Castro Rodrigues, apresentam o seu testemunho sobre a sua experiência profissional nas Câmaras de Luanda e Lobito, respectivamente, durante o 3º quartel do Século XX, onde foram responsáveis pela elaboração dos planos de urbanização. Para além destes projectos, desenvolveram também uma prática profissional independente, tendo construído alguns dos mais significativos exemplos de arquitectura moderna das antigas províncias ultramarinas.

Exposição “Os Plano de Urbanização nas Antigas Províncias Ultramarinas, 1934-1974″
No mesmo dia, pelas 18h30, na sala de Exposições, o Departamento Autónomo de Arquitectura inaugura também uma exposição sobre a mesma temática que resulta do mesmo projecto de investigação “Os Plano de Urbanização nas Antigas Províncias Ultramarinas, 1934-1974”.

O material existente em Portugal e nos arquivos dos novos países não estava inventariado nem tão pouco catalogado. Muitos documentos estavam dispersos, muitas vezes eram apenas peças soltas que se encontravam em condições conducentes a uma rápida degradação. A pesquisa permitiu identificar, recolher e tratar a informação relativa a quatrocentos e cinquenta planos que, embora não corresponda à totalidade dos trabalhos realizados no período em análise, constituem certamente uma amostragem representativa e de suporte ao desenvolvimento da teoria urbanística.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: